Férias da Páscoa : Saiba como manter a casa segura


Tópicos DicasSecuritas DirectSegurançaCuriosidades

A combinação de recomendações gerais com elementos físicos e eletrónicos que dificultem o acesso à casa ou alertem em caso de intrusão é considerada a forma ideal de promover a segurança da habitação no período de férias.


As férias escolares e o fim de semana alargado da Páscoa incentivam muitos portugueses a desfrutar de uma merecida pausa e a viajar, mesmo que seja para ir visitar a família noutras zonas do país. Ainda que de curta duração, este período de ausência apresenta-se como um motivo para planear uma intrusão, segundo um comunicado enviado ao SUPERCASA Notícias. Segundo os dados da Central Recetora de Alarmes (CRA) da Securitas Direct, que gere a segurança de mais de 175 000 clientes em Portugal, o período da Páscoa tende a registar um aumento de 8,5% das tentativas de intrusão. “Atualmente, a segurança e o conceito de proteção são de particular importância, e têm um impacto no bem-estar social e psicológico dos indivíduos. Nestes períodos de miniférias, em que nos ausentamos apenas por alguns dias, muitas vezes tendemos a baixar a guarda, sendo menos conscientes do quão vulneráveis as nossas habitações podem ficar a eventuais intrusos. Para tal, é muito importante tomar medidas preventivas, que antecipem qualquer risco que de alguma forma possa comprometer a segurança do lar e/ou dos seus habitantes”, afirma Marta Correia Santos, responsável da CRA da Securitas Direct em Portugal. Que medidas de segurança adotar? Os especialistas em segurança da Securitas Direct partilham uma série de dicas que combinam elementos eletrónicos e físicos para proteger o lar quando se viaja.

  1. Assegure a iluminação exterior durante a noite. Ter alguma iluminação externa reduz o risco de arrombamento.

  2. Verifique o estado das fechaduras, pois estas tendem a deteriorar-se com o tempo.

  3. Comprove que todas as entradas para a casa estão completamente fechadas.

  4. Não deixe objetos de valor visíveis do exterior da casa, pois pode aumentar o interesse na intrusão.

  5. Mantenha uma aparência de habitação habitada, não fechando completamente todas as persianas ou pedindo a um vizinho para as mexer.

  6. Impeça que observem os seus hábitos, promovendo ligeiras alterações de horários e procedimentos.

  7. Não publique informações sobre as suas viagens nas redes sociais, evitando dar pistas a potenciais intrusos sobre a sua ausência. É também importante desativar a geolocalização em dispositivos e aplicações móveis.

  8. Ative elementos de segurança a eletrónicos que sejam, acima de tudo, dissuasores, tais como ter um alarme doméstico ou um sistema de videovigilância ligado a um centro de monitorização de alarmes, ligação automaticamente a Forças de Segurança. Se necessário, informe a central de alarmes que vai estar fora.

  9. Aposte em elementos físicos que obriguem o intruso perder tempo ou a fazer barulho para aceder à casa deixando-o mais exposto, tais como barras, fechaduras, portas blindadas.

  10. Desligue os equipamentos elétricos que não vão ser utilizados, como televisões, rádios, eletrodomésticos. Lembre-se também de fechar a ligação do gás para evitar fugas.