Guia para escolher a piscina perfeita para ter em casa

Se estás a pensar investir numa piscina para ter em casa, este guia é para ti. Deixamos-te uma lista de várias opções.

O verão está aí à porta, as temperaturas vão começar a subir, e nada melhor que um mergulho refrescante numa piscina, sobretudo, para quem tem a sorte de ter uma em casa. Caso queiras dar mais vida à tua casa no verão e investir numa piscina, mas não sabes qual escolher, não te preocupes, temos a solução. Em colaboração com os especialistas da plataforma habitissimo, deixamos-te os tipos de piscinas mais comuns e dicas que podem ajudar-te a decidir.


Piscina em cimento


Este é ainda um dos tipos de piscinas mais usados em Portugal, até porque pode ser personalizado aos gostos do cliente. Quando bem construída e bem mantida, é uma piscina que durará muito tempo. No entanto, ainda é uma opção algo cara, especialmente quando comparada com outras possibilidades. Isto porque a construção da estrutura é feita de raiz, algo que implica a compra de materiais, como o cimento e o revestimento da piscina.


Piscina em fibra


É também chamada de piscina pré-fabricada, e é uma opção muito popular, não só no nosso país como em todo o mundo. Isto porque a estrutura vem já feita, bastando apenas colocar a piscina no local correto e tratar das ligações, algo que permite poupar nos custos de construção e mão de obra. Têm também a vantagem de existirem inúmeros modelos por onde escolher, pelo que não será difícil encontrar uma piscina a teu gosto.

Piscina de areia


As piscinas de areia são uma tendência relativamente recente, mas ainda não são muito comuns, face ao elevado preço de instalação. No entanto, são perfeitas para quem procura um jardim com um ar mais natural e tropical. Estas piscinas são feitas de cimento, no formato que desejares, e finalizadas com uma mistura de areias minerais e resinas. Isto permite ter uma pequena praia no jardim, algo que é especial e que chama à atenção.

Piscina em vidro


Ainda é pouco usada, já que acarretam um custo mais elevado, mas permitem ter uma vista desimpedida sobre o jardim ou a paisagem envolvente. São muito usadas nas piscinas infinitas, nas quais a água se confunde com a paisagem, mantendo a experiência o mais natural possível. Para a sua construção, usa-se vidro laminado, que é flexível e aguenta o peso da água.


Piscina natural


Confundem-se muitas vezes com as piscinas de areia, mas são algo de diferente. No caso de uma piscina natural, tenta-se criar um espaço onde se pode nadar e onde se tenta criar um ecossistema adaptado ao local, com plantas que lhe permitirão não ter de usar químicos na piscina. É a opção perfeita para os amantes da natureza, embora ainda não seja comum no nosso país.

Piscina contentor


É uma opção moderna e sustentável, que tem ganhado aos poucos espaço no mercado. Esta é uma piscina construída em cima de contentores marítimos, que são assim reutilizados. Muitas destas piscinas vêm já com tudo o que é necessário para o seu funcionamento, bastando apenas serem implantadas no local e fazer as ligações corretas. Acaba por ser uma opção barata, prática e muito sustentável.


Qual opção escolher


Deixamos-te mais algumas dicas que deves ter em conta antes de optar por um modelo ou outro:

  • Pensar no clima do local – alguns materiais usados em piscinas podem requerer mais manutenção se estiverem num local perto do mar, por exemplo;

  • Considera o uso que lhe vais dar – a piscina vai ter muito ou pouco uso? Se quiseres uma piscina, mas acha que não vai ser muito usada, talvez seja melhor investir num modelo mais em conta;

  • Com ou sem crianças? - conceitos como uma piscina de areia ou natural são muito apelativos, mas podem não ser os mais práticos quando se trata de serem usados por crianças;

  • O que pretendes no jardim – se procuras um aspeto mais natural no exterior da casa, as piscinas naturais ou de areia são boas opções, assim como alguns modelos de piscinas de fibra.