Intermediário de crédito: Vantagens e Desvantagens

Está a ponderar recorrer a um crédito para comprar uma casa? Pretende negociar a sua prestação do crédito habitação para ser mais baixa? Neste tipo de situações, saiba as vantagens e desvantagens de contratar um intermediário de crédito.


Um intermediário de crédito consiste alguém numa pessoa ou numa empresa qualificada e com o conhecimento suficiente, para poder aconselhar e indicar ao cliente qual a melhor opção para a contratação do seu crédito, de modo independente e isento.

Por outras palavras, realiza a mediação entre o cliente e o banco ou a instituição de crédito. Todas estas entidades estão registados no Banco de Portugal.

Existem mais de quatro mil instituições a trabalhar com o propósito de facilitar a vida aos consumidores, principalmente nos pedidos de empréstimo, apresentando as diversas soluções do mercado, ajustadas ao perfil de cada um.

Embora os intermediários de crédito não sejam quem concede o financiamento, mas sim as entidades bancárias, visto que não estão autorizados, na realidade, estes lidam com todo o processo de concessão de crédito.

Dado que os intermediários de crédito já estão habituados a lidar com pedidos de empréstimo nos bancos e conhecem todas as etapas, o processo acaba por torna-se mais rápido do que se fosse o consumidor a tratar de tudo sem qualquer apoio.

Neste sentido, há mais vantagens, no entanto, também existem certas desvantagens. Saiba tudo.

Vantagens de recorrer a um intermediário de crédito

São diversas as vantagens de recorrer a um intermediário de crédito. Poder de negociação/Taxas mais baixas Um intermediário de crédito tem um maior poder de negociação face ao consumidor comum, Uma vez que existe uma relação privilegiada com as instituições bancárias e muita experiência em negociar, por regra conseguem obter as melhores condições para o crédito que precisa. Neste sentido, as taxas de juro ficam mais baixas do que as praticadas pelas instituições bancárias. Qualificações e conhecimentos/Burocracias Os intermediários de crédito facilitam todo o processo, visto que estão habituados a lidar com estas questões junto das instituições financeiras. Assim, será possível poupar tempo com burocracias e também dinheiro, já que o intermediário pode conseguir negociar condições mais atrativas. Acompanhamento ao cliente Durante todo o processo de pedido de crédito, o intermediário vai fazendo também um acompanhamento ao cliente. Ou seja, se recorrer a um intermediário de crédito será possível contar com um serviço de aconselhamento totalmente personalizado à sua situação financeira e às suas necessidades. Serviço gratuito E, por fim, este serviço é totalmente gratuito. Na verdade, apenas os intermediários de crédito não vinculados podem cobrar pelos serviços de intermediação de crédito ou de consultoria que prestam. No entanto, se se fizer deve-se indicar no contrato o preço dos serviços a prestar e outros encargos a suportar pelo consumidor quanto à intermediação de crédito. Neste sentido, quando se recorre aos serviços de um intermediário de crédito, nunca se deve esquecer de verificar qual a categoria em que este se insere (vinculado, a título acessório e não vinculado).

Desvantagens de recorrer a um intermediário de crédito Por outro lado, existem certas situações que podem ser ponderadas desvantagens na hora de recorrer a um intermediário de crédito. Perda do controlo do processo Primeiramente, o facto de não ser o próprio cliente a tratar do assunto diretamente pode ser ponderado uma desvantagem, visto que não tem o controlo do processo. Atividade exclusiva Seguidamente, nos casos dos intermediários em que a atividade exclusiva não é vender crédito, como, por exemplo, nas mediadoras imobiliárias, na maioria dos casos vai-se estar a fechar negócio com alguém que não é especialista em crédito. Esta questão pode trazer determinadas desvantagens, nomeadamente no que diz respeito à rede de parceiros, a qual, muitas vezes, é mais limitada. Rede de parceiros limitada A questão da rede de parceiros mais limitada é apontada como uma desvantagem de se recorrer a um intermediário de crédito. Embora haja intermediários que trabalham com muitas ou quase todas as instituições bancárias e de crédito, o oposto também acontece. Neste caso, ao invés de ser apresenta a melhor proposta, feita à medida do seu caso, vão apenas vender uma proposta. Burlas ou fraudes Deve-se ter cuidado para não se cair em burlas ou fraudes de falsos intermediários de crédito. Estas entidades costumam anunciar a concessão de crédito, rapidamente, sem formalidades complexas, com discrição, a todas as pessoas, mesmo àquelas que não conseguem obter crédito junto do sistema financeiro ou àquelas que já se encontram numa situação de incumprimento. Concessão de crédito Por fim, de destacar que os intermediários de crédito não estão autorizados a conceder crédito, nem a intervir na comercialização de outros produtos ou serviços bancários. Assim, deve-se desconfiar das entidades que anunciem o contrário. Para isso, deve-se sempre confirmar se a pessoa ou intituição de intermediação fazem parte das listas de intermediários de crédito autorizados pelo Banco de Portugal.