Portugal confirma a Galiza comboio entre Braga e fronteira num investimento de 900 milhões


Lusa


"A ideia é começar entre Braga e a fronteira portuguesa, é um projeto de 900 milhões de euros e os prazos previstos é que se possa começar esse projeto, uma vez finalizados os projetos construtivos necessários para poder começar a obra, a partir do ano 2025, aproximadamente", declarou o presidente da Junta Autónoma da Galiza, Alberto Núñez Fejióo, após uma audiência com o primeiro-ministro, António Costa, que decorreu em Lisboa.


O político galego indicou que os 900 milhões de euros são exclusivamente investimento português, que se prevê financiado através do próximo período de fundos europeus. "Agradeço muito ao Governo português e ao seu primeiro-ministro a confirmação da prioridade ferroviária entre Lisboa – Porto, Porto – Braga, Braga – fronteira portuguesa. Agradeço muito, além de mais, que a maior infraestrutura comece entre Braga e a fronteira com a Galiza", disse o presidente da Junta Autónoma da Galiza. Alberto Núñez Fejióo defendeu que esta "é uma grande decisão estratégica de Portugal, uma grande decisão de todo o Eixo Atlântico e uma grande decisão de todas as aldeias, cidades e comunidades que compõe o Eixo Atlântico".


"Mas, Lisboa - Vigo seria em três horas [com comboio de alta velocidade]. Compreenderá que ligar Lisboa com Vigo é um sonho e fazê-lo em três horas é um antes e um depois para as relações entre o norte de Espanha, Galiza e Portugal. Neste momento, a ligação entre Porto e Galiza é duas horas e 15 minutos, aproximadamente, e passaria a ser 55 minutos, portanto, automaticamente estaríamos numa conectividade ferroviária absolutamente distinta, que competiria com a conectividade por autoestrada, de uma forma clara", afirmou o político galego.


Além da ligação Lisboa - Vigo, o comboio de alta velocidade vai permitir "chegar desde o centro de Lisboa a Corunha em quatro horas, é um antes e um depois para todo o Eixo Atlântico", reforçou.


Na audiência com o primeiro-ministro de Portugal, o presidente da Junta Autónoma da Galiza falou ainda da situação da pandemia do novo coronavírus e da vacinação contra a covid-19, assim como da recuperação da atividade económica e o futuro das relações transfronteiriças.


Alberto Núñez Fejióo comunicou também os interesses dos autarcas portugueses e galelos na zona de Vinhais e A Gudiña para tentar melhorar as condições viárias, tanto para ligar todo este território, como para utilizar a estação ferroviária de A Gudiña e poder ligar até à Galiza e até Madrid as populações portuguesas transfronteiriças, algo que o primeiro-ministro disse que iria avaliar com o gabinete de Infraestruturas.


O político galego revelou o projeto de 20 mil milhões de euros, a financiar pelos fundos Regeneretion, nomeadamente para a área de automatização, em que "Portugal e Galiza são um polo ibérico da automatização muito importante", destacando as reservas de lítio, e para os temas energéticos, abrangendo a energia eólica, o hidrogénio verde, a energia hidráulica e fotovoltaica.


Sobre os fundos transfronteiriços, a Galiza arrecadou 130 milhões de euros nas últimas convocatórias do programa Interreg VA Espanha-Portugal (POCTEP) e está a preparar e a concluir as novas propostas, em que um dos projetos é a instalação de uma pista para aeronaves nas proximidades da serra do Xúres, num investimento de nove milhões de euros, para dar uma capacidade logística de combate a incêndios rurais.


Relativamente ao turismo, Alberto Núñez Fejióo destacou a celebração do Ano Xacobeo, que, pela primeira vez, estender-se-á por dois anos seguidos (2021 e 2022) devido à situação pandémica, e do Caminho de Santiago.


O presidente da Junta Autónoma da Galiza convidou António Costa a fazer o Caminho de Santiago, ao que o primeiro-ministro respondeu que seria "melhor no ano de 2022", porque estaria com mais disponibilidade de agenda.


Hoje de manhã, numa audiência com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, o político galelo fez o mesmo convite e o chefe de Estado confirmou que vai fazer uma etapa do Caminho de Santiago em agosto deste ano.